Religiosidade e fé

Sikhismo: saiba tudo sobre a doutrina religiosa do guru

Por Redação João Bidu 24/10/2017 ÀS 14H00
A foto mostra um guru adepto do sikhismo A foto mostra um guru adepto do sikhismo - Reprodução

Dizem que quando alguém é mestre em determinado assunto, é o guru dessa especialidade. Mas, formalmente, o significado é sério, afinal, imagine ter tamanho conhecimento espiritual a ponto de nortear as ações de milhões de fiéis. Assim como os pastores para o protestantismo, são eles os responsáveis por ensinar os seguidores de sikhismo.

Do termo em sânscrito sisya, que significa discípulo, a religião foi fundada no século XV, na província de Punjab, na Índia, por Baba Nanak, o primeiro de dez gurus. Nascida da união entre o islamismo e o hinduísmo, seus fiéis são chamados de sikhs, monoteístas, que seguem a doutrina do livro sagrado Guru Granth Sahib.

Apesar de pouco conhecida no ocidente, o sikhismo é a sexta maior religião do mundo e é seguida por mais de 20 milhões de fiéis – estima-se que 19 milhões vivam na Índia.

Triângulo da fé

A religião possui três pilares que orientam a prática da doutrina, são eles: repetir o nome de deus, alcançar o sustento com o próprio esforço e a caridade. Os fiéis também acreditam na existência do karma, isso significa que as ações de uma vida refletirão na próxima, já que após a morte a alma migra para outro corpo.

A religião prega que os homens estão separados de deus por serem egocêntricos, por isso ficam presos no ciclo de renascimento. Somente a recordação devotada do nome nam simaram e a repetição do nome nam japam permitem a libertação do egocentrismo e a união com Deus.

Vida, morte e os cinco K

O recém-nascido é levado a um gurdwara, templo onde se abre o livro sagrado Guru Granth Sahib em uma página aleatória. Então o nome da criança é escolhido de acordo com a primeira letra da primeira palavra do lado esquerdo da página aberta.

Após o falecimento, ocorre uma cerimônia estruturada por hinos e o corpo é cremado, antes de as cinzas serem jogadas em rios considerados sagrados.

A partir dos quinze anos, o fiel é batizado e deve seguir uma rígida doutrina que consiste em não comer carne, não fumar, não beber, não usar drogas e não adulterar. Após o batismo, os sikhs devem seguir os “cinco k”:

LEIA TAMBÉM

Texto e pesquisa: Isadora de Oliveira/Colaboradora - Edição: Giovane Rocha noEmbed

0489