Religiosidade e fé

Como o budismo entende a vida após a morte

Por Redação João Bidu 17/10/2017 ÀS 13H30
A foto mostra uma pessoa budista rezando em frente a uma estátua de Buda, representando a vida após a morte A foto mostra uma pessoa budista rezando em frente a uma estátua de Buda, representando a vida após a morte - Foto: Shutterstock.com

A questão da vida após a morte passou por mudanças dentro da Igreja Católica. A Bíblia faz referências à reencarnação em alguns pontos, como o livro de Mateus. No entanto, no ano de 553, durante o segundo Concílio de Constantinopla, o termo foi substituído por “ressurreição” por conta de uma decisão política a fim de agradar o Império Bizantino.

A Bíblia diz em Marcos, capítulo 12, versículo 25: “quando os mortos ressuscitam, não se casam nem são dados em casamento, mas são como os anjos nos céus”. Para algumas correntes cristãs, a alma ascende aos céus. Já outras correntes, como as Testemunhas de Jeová, levam em conta os escritos em Gênesis, capítulo 3, versículo 19: “com o suor do seu rosto você comerá o seu pão, até que volte à terra, visto que dela foi tirado; porque você é pó, e ao pó voltará".

O budismo crê no renascimento, ou seja, na ideia da existência de um espírito que se separa do corpo físico. Quando o ser humano morre, esse espírito assume uma nova forma material a fim de evoluir, que pode ser tanto em um ser humano quanto em outros seres vivos.

Entretanto, o renascimento não é visto como uma simples transmigração ou “transferência” do espírito para outros corpos físicos, mas é parte de um processo, um fluxo em que todas as vidas que temos são conectadas. A existência atual é uma consciência de todas as características que adquirimos nesta vida com as habilidades e preferências que trazemos do momento passado. Quando renascemos, levamos essa consciência em nossa nova forma.

Dessa maneira, esse processo de renascimento irá continuar até que as condições que o causaram persistam em sua existência. Quando essas condições deixarem de existir, ao invés de renascer, a consciência alcançará o estado do Nirvana, o grande objetivo entre os budistas.

LEIA TAMBÉM

Texto e pesquisa: Thiago Koguchi e Victor Santos/Colaborador - Edição: Giovane Rocha

Referências: O Livro das Religiões, de Jostein Gaarder, Victor Hellern e Henry Notaker, Editora Companhia das Letras; A Vida e o Pensamento de Buda, de Morgana Gomes, Editora Minuano; revista Grandes Líderes Religiosos - Buda, Editora Alto Astral; site acessoaoinsight.net noEmbed

0475