Fale conosco

O que você está procurando?

Autoconhecimento

Entenda como o medo prejudica sua aura e deixa você vulnerável

Entenda como o medo prejudica sua aura e deixa você vulnerável
A sensação de medo prejudica, diminui seu campo áurico e permite que outros invadam seu espaço energético - Foto: Shutterstock

Tudo que tem vida – pessoas, animais e plantas – possui aura. Ela corresponde ao campo energético de cada um, podendo ser visualizada por algumas pessoas como um contorno vibracional no corpo físico de cerca de 8 a 10 centímetros de espessura. O somatório do estado de todos os corpos do ser humano produz esse campo energético. Dessa forma, o conjunto de ações, pensamentos e emoções de uma pessoa define como estará a sua aura – que por sua vez, possui o campo energético ampliado como se fosse um escudo.  O medo prejudica, por exemplo: se  a pessoa estiver desprotegida, mais suscetível estará de influências não tão desejáveis.

COMO SERÁ O SEU DIA HOJE? DESCUBRA TUDO NO HORÓSCOPO DIÁRIO! LÁ TEM TODAS AS TENDÊNCIAS ASTRAIS PARA O SEU SIGNO!

Perigo e medo

Antes de nos aprofundarmos na relação entre aura e medo, é importante entendermos o que é o medo. Você já pensou sobre isso? Faz sentido para você definirmos o medo como a sensação que temos diante de um potencial perigo, seja algo o qual estamos passando no momento ou mesmo algo que está acontecendo dentro de nossa cabeça, como uma possibilidade?

Então, podemos entender que o medo é uma ilusão. Entenda: o perigo sim pode existir, seja como algo já manifestado ou como algo em potencial, quando analisamos em nossos pensamentos. Portanto, podemos tomar atitudes para nos livrarmos ou evitarmos esse perigo.

Já o medo não é algo que existe verdadeiramente. É uma sensação que não tem função nenhuma, pois não irá proteger e nem mudar a situação. Pelo contrário, muitas vezes é como se o medo nos cegasse, atrapalhando o raciocínio e a busca por uma solução adequada para a situação.

Aqui cabe um parênteses, pois você pode pensar, que o medo é importante, pois, por exemplo, o receio de morrer nos mantém vivos, não é mesmo? Mas, não é ele que ativa esse mecanismo em nós, é o instinto de sobrevivência. O medo é o responsável por fazer com que busquemos preservar a nossa vida.

E como fica a nossa aura?

Além de atrapalhar a busca de soluções, o medo prejudica o estado áurico. Isso acontece devido aos mecanismos de defesa do ser humano, ligados a seus instintos primitivos de luta e fuga. Diante de uma potencial ameaça, todo nosso sistema se prepara para lutar ou fugir.

E, nesse processo, ocorre o encolhimento da aura: todo esse campo é recolhido –  para que depois essa energia seja despejada no ambiente, como em uma explosão, para facilitar a luta ou a fuga, em uma tentativa de se defender. Tudo isso acontece em um nível energético.

Quando sentimos medo – seja devido a perigos reais ou não – como o pavor de perder o trabalho, de não vivenciar um amor, de que o filho vá embora, de me expressar e passar vergonha, pode ser qualquer situação… estamos entrando em um processo de encolhimento da nossa aura. E, quanto mais pensamos nesses “problemas” e vibramos nessa dor, mais damos combustível para esse processo.

Vulnerável a invasões

Quando estamos confiantes e relaxados, o campo áurico permanece expandido e cumprindo a função de um escudo protetor. Entretanto, ao alimentarmos o processo interno de medo e a consequente diminuição da aura, estamos dando condições para que terceiros invadam o nosso campo.

Na prática, em uma situação de discussão, por exemplo, conforme você vai percebendo a outra pessoa, os gestos, expressão facial, tom de voz, palavras… isso vai mexendo com sua mente e emocional e causando medo. Neste momento, a aura diminui um pouquinho. 

O outro percebe energeticamente que a distância entre vocês está menor, pois seu escudo se encolheu e invade também um pouquinho o seu espaço. A discussão continua, seu medo aumenta e sua aura contrai mais um pouco. Assim, a outra pessoa invade um pouco mais o seu campo. 

Esse processo continua e, quando você vê, não consegue se defender ou se expressar e pode até acabar fazendo coisas que não queria, em uma situação de subjugação. 

E esse processo ocorre tanto em situações da vida física, quanto em ataques em nível energético e espiritual. Quanto maior o seu medo, menor a sua aura e mais vulnerável você está a invasões de encarnados ou desencarnados.

Instigar e alimentar o medo é um mecanismo de controle e dominação muito fácil de ser implantado em pessoas que não estão conscientes de si mesmas.

Tem solução

A raiz dessa questão está localizada na sensação de medo. Portanto, a raiz da questão é não sentir medo. E como podemos fazer isso? Entrando em um processo de confiança, compreendendo que a vida é da maneira que tem que ser e não na maneira que o nosso ego quer que seja.

Ao vivenciar esse estado de confiança, percebendo que tudo está certo como está, não há mais a necessidade de controle e, portanto, não existe mais o medo de se passar por determinada situação.

A proposta não é ser passivo diante da vida, mas aceitá-la como é e empregar as forças no sentido de fazer o que deve ser feito, no que está ligado ao projeto de vida, e não tentando controlar os fatos e acontecimentos.

Esse processo ocorre de maneira natural, quando você se conecta com sua essência, em um processo profundo de autoconhecimento. Um terapeuta pode te ajudar!

Texto: Bia Albuquerque (@biaaterapeuta), terapeuta energético-espiritual, humanoterapeuta, psicanalista espiritualista, facilitadora do Círculo da Vida e ledora de baralho terapêutico

LEIA TAMBÉM: