Notícias

Tudo sobre o tarot: conheça sua história e os diferentes tipos de baralho

Por Renata Prado 23/04/2020 ÀS 15H42
Cada um dos tipos de tarot pode ajudar a resolver diferentes questões Cada um dos tipos de tarot pode ajudar a resolver diferentes questões - Shutterstock

Nesta semana vou falar sobre um assunto que amo: hoje você irá conhecer alguns dos tipos de tarot que existem. Mas, antes disso, vamos a um pouco de sua história!

O tarot é um sistema de leitura oracular. É um baralho de 78 cartas, as quais chamamos de arcanos, mas que, em outros tempos, foram chamadas de mistérios ou trunfos. Os arcanos são divididos em dois grupos: 22 arcanos maiores e 56 arcanos menores.

História do Tarot

Sobre a origem do tarot, não há nada específico e assertivo, onde se originou ou porque foi criado - isso continua sendo um mistério na história.

Alguns afirmam que ele se originou no Antigo Egito; existem relatos de que na biblioteca de Alexandria havia um deck de lâminas do tarot em ouros e papiros que explicavam sobre a sua existência. Mas, com a queima da biblioteca, não há como ter certeza.

Outros defendem a tese de que ele foi inventado pelos ciganos, que nasceu na Itália ou que teve origem entre os mistérios do Antigo Egito e que migrou pelo mundo com o povo cigano - o que, para mim, faz mais sentido.

O fato é que não temos certeza e, na verdade, isso não importa, diante da grandeza que representa cada carta e a capacidade de transformação que pode promover na nossa vida.

O tarot sobrevive há muito tempo; desde que o mundo é mundo, ele sobreviveu ao longo da história. Em meados do século XVII, surgiu o que conhecemos como tarot de Marselha e quem o adquirisse, poderia colorir de acordo com a sua vontade e inspiração.

Mais tarde, ganhou nova roupagem aos olhos de importantes figuras, como Court Gebelin, que intelectualizou esses trunfos e, posteriormente, ocultistas e filósofos de autoridade, como Waite, Eliphas Levi e Crawley. 

A verdade é que o oráculo fala muito mais sobre nós do que podemos imaginar, ele faz parte do inconsciente coletivo dentro da estrutura humana.

Tipos de Tarot 

Na atualidade, podemos encontrar alguns diferentes tipos de tarot. Hoje eu vou falar de quatro deles:

Tarot de Marselha

O tarot de Marselha carrega em si muito mistério e conteúdos profundos. Há estudos que afirmam que ele nasceu na Itália e depois migrou para a França, onde se criaram diversas séries do baralho e que, a partir daí, se tornou popular.

Porém, é possível encontrar informações registradas no museu do Louvre sobre outros tarots, que datam período do século XV. Já no Marselha, o século XVII datou seu aparecimento; ele era impresso usando carimbos de madeira, produzidos mais tarde por máquinas.

Seus trunfos eram representados por 21 cartas identificadas por imagens e números romanos. A carta da morte não recebeu nome e a carta do Bobo não tinha número.

Suas imagens fazem alusão a um período medieval da história, mas o fato principal é dentro da sua essência; o Tarot de Marselha fala de aspectos muito internos em nós, fala a linguagem da alma e seus arcanos são carregados de informações importantes sobre a evolução humana.

Tatot Rider Waite

O Tarot Waite surgiu em torno de 1903 e 1905. Em sua criação, o ocultista Edward Waite tinha como objetivo principal que esse oráculo fosse parte importante no processo iniciático de uma Ordem Hermética, fundada em 1888, da qual ele fazia parte. Portanto, esse oráculo teve sua criação baseada na astrologia, nos conceitos herméticos e cabalísticos.

Algumas coisas mudaram aqui: a carta do Bobo recebeu a numeração 0, assim como outros arcanos. Outro exemplo é a Papisa, que no tarot de Marselha representava a grande sacerdotisa e, no Tarot Waite, passou a ser uma representação da Deusa Ísis. Outra curiosidade é que nesse tarot houve a inversão dos arcanos da casa 8 e 11, baseada em estudos do alfabeto hebraico.

Tarot Crowley

Aleister Crowley foi um grande magista e ocultista da ordem Hermética. Para muitos tarotistas, esse é um dos mais difíceis de se ler, pois em cada uma das suas imagens há um mistério a ser interpretado.

Sua criação foi baseada nos estudos astrológicos, dos deuses antigos do Egito, na kabbalah, dentro dos conceitos científicos e, em partes, nas leis universais. Cada imagem retratada tem um conhecimento profundo dos estudos de Crowley.

Por ser considerando de leitura difícil e complexa, é necessário diversos conhecimentos para realizar uma leitura eficaz com esse oráculo. Algumas cartas também tiveram alteração, como as mudanças de nome da carta do Mundo para "Universo" e da carta da Temperança para "A Arte".

Tarot Mitológico

Seu início é datado em 1988, criado por Juliet Sharman-Burke, uma astróloga inglesa. Em sua abordagem, ela se refere aos mitos gregos e seus arquétipos aprofundados nos deuses da mitologia. Seu baralho vai profundo na psique humana, na psicologia; o que se manifesta e cada jogada é pura obra do nosso inconsciente.

A carta do Louco não recebe numeração - ela representa nossa infância e vai a cada arcano representando nossas fases de evolução nessa jornada arquetípica, a nossa jornada da vida ou a jornada do herói.

Totalmente terapêutico, sua ideia principal é contribuir para a organização do ser, para lidar com aspectos da vida, olhando para o lado de dentro.

Qual é melhor?

Certo que existem diversos tipos de tarot, mas qual deles é melhor? O melhor é aquele que mais conversa com sua alma, aquele que lhe chama atenção e fala com você de forma não verbal - aquele que você sente.

Independentemente do tipo de tarot que você utilizar, é importante ter conhecimento para extrair o máximo de informação possível para que ele te ajude a ser sua melhor versão, auxiliando a sua conexão com sua essência.

Utilize essa ferramenta como guia para direcionar seus caminhos, mas não seja dependente; saiba que você tem livre arbítrio e a responsabilidade da sua vida é sua!

Texto: Renata Prado - Terapeuta holística e taróloga

Instagram: @renataprado.terapeuta

 

LEIA TAMBÉM:

01980