Religiosidade e fé

Termo LGBT é usado pela primeira vez em documento do Vaticano!

Por Redação João Bidu 28/06/2018 ÀS 14H00
Na imagem, o papa francisco acena para o público sorrindo. Termo LGBT. Na imagem, o papa francisco acena para o público sorrindo. Termo LGBT. - Reprodução/Copyright L'Osservatore Romano

Desde o início da sua eleição em 2013, o Papa Francisco declarou diversas vezes sobre o respeito e acolhimento aos homossexuais. O mais recente, no entanto, foi além das palavras do pontífice em entrevistas e surgiu em um documento oficial do Vaticano, um marco na história. Este, em questão, é o Instrumentum laboris indicado por Francisco para o Sínodo dos Bispos, que deve acontecer em outubro. O termo LGBT representa a comunidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transsexuais e transgêneros.

O termo LGBT

Até então, o Vaticano e o próprio papa utilizavam expressões como "pessoas com tendências homossexuais" ou apenas como "gay", por exemplo. Assim, a partir de um encontro com jovens promovido pela Igreja, surgiu uma nova abordagem de linguagem, uma vez que o termo LGBT foi o mais citado na ocasião.

Dessa forma, o papa e a instituição religiosa pretende tornar o diálogo aberto e respeitoso sobre o assunto. "Alguns jovens LGBT, através de várias contribuições vêm à Secretaria do Sínodo, desejando 'beneficiar de uma maior proximidade' e experimentar uma maior atenção por parte da Igreja. [...] O que eles propõem 'para os jovens, em vez de formar casais heterossexuais, decidir formar casais homossexuais e, acima de tudo, querer estar perto da Igreja'", diz o trecho do parágrafo 197 do documento.

Relevância no documento

Ao se tornar chefe da Igreja Católica, o Papa Francisco promoveu diversas campanhas a fim de trazer os jovens para o catolicismo. No entanto, isso implica em transformar certas atitudes tradicionais para garantir que todos os fiéis sejam respeitados e se sintam acolhidos. Com isso, o pontífice passou a discutir temas considerados polêmicos em entrevistas, resolveu problemas internos - como o abuso infantil -, bem como reformou instituições de poder para tornar o Vaticano mais contemporâneo.

O Sínodo é uma reunião convocada pelo santo padre para que os bispos discutam o tema por ele proposto. O evento que ocorrerá em outubro foi planejado com profundos questionários e encontros com os jovens. O resultado dessa pesquisa foi o documento de trabalho (Instrumentum laboris) e marca um progresso da Igreja Católica na aceitação e acolhimento sem preconceitos da comunidade LGBT, bem como divorciados e outros grupos que queiram se aproximar da religião.

LEIA TAMBÉM

Texto: Camila Ramos/Colaboradora noEmbed

0855