Religiosidade e fé

O espiritismo proíbe o consumo de carne? Entenda

Por Redação João Bidu 24/08/2017 ÀS 11H20
A foto mostra uma mulher olhando uma geladeira aberta. Relação entre espiritismo e o consumo de carne A foto mostra uma mulher olhando uma geladeira aberta. Relação entre espiritismo e o consumo de carne - Foto: iStock.com/Getty Images

Uma alimentação sem a proteína animal sempre cria discussão. Entre adeptos do espiritismo o assunto também é passível de polêmica. Alguns creem que alimentar-se de carne não prejudica o espírito, e mais que um conceito moral, é uma questão de sobrevivência.

Outros acreditam justamente o contrário: que os mesmos nutrientes importantes contidos na carne como proteínas, gordura, minerais (ferro, zinco, potássio e fósforo), além de vitaminas (complexo B) e nos peixes (vitaminas A, D, e E) podem ser encontradas em outras fontes de alimento.

Do outro lado da discussão, estudiosos afirmam que não há implicação séria em ser onívoro, que come alimentos de origem vegetal e animal, ou vegetariano. Depende apenas do gosto de cada pessoa e sua cultura alimentar.

Pode ou não comer carne?

O espiritismo não proíbe o consumo de carne, apenas entende que para trabalhos que envolvam captação e manipulação de energias sutis não é recomendado o uso de alimentos pesados e de difícil digestão, como é o caso da carne vermelha.

Além disso, devemos lembrar que Chico Xavier nunca deixou de alimentar-se de forma responsável, ingerindo carne em suas refeições. Dentro do movimento espírita, há um grupo que segue fielmente os ensinamentos de Ramatis, extraídos principalmente do livro A fisiologia da Alma, da Editora do Conhecimento, obra na qual há um capítulo que fala exclusivamente sobre o vegetarianismo e como ele favorece a purificação do espírito humano.

O que Kardec diz?

Para responder a esta questão nos remetemos a Allan Kardec por meio da codificação para saber a posição dos espíritos. Na questão 723, ele pergunta aos espíritos superiores, e eis que estes respondem:

“Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização.”

Porém, vegetarianos espíritas afirmam que não podem comer um irmão, em nível evolutivo inferior, mas irmão. Autores como Victor Leonardo da Silva, que também é médico, dizem que se pensarmos por esta vertente, não deveríamos nos alimentar então, pois o vegetal é um ser vivo, assim como qualquer animal.

LEIA TAMBÉM

Texto: Beatriz Albuquerque e Natália Dário - Edição: Giovane Rocha noEmbed

0368