Fale conosco

Dinheiro

Kakebo: conheça o método japonês para controlar as despesas

Aprenda a economizar com o auxílio do Kakebo - Crédito: Jp Valery/Unsplash

A educação financeira é um dos principai pilares da vida próspera. Com ela é possível identificar os gastos desnecessários, priorizar certas áreas da vida que precisam de mais investimentos, ter uma reserva de dinheiro e saber como controlar o desejo consumista.

O ideal é desenvolver essa sabedoria desde a infância, na medida do possível, para que seja algo mais próximo e natural para as pessoas. Porém, sabemos que isso não é tão comum na nossa cultura e que, infelizmente, poucas pessoas realmente vão a fundo na educação financeira ao longo da vida.

Então, se você está passando por dificuldades financeiras ou quer aprender a cuidar melhor da sua renda, saiba que existe um método japonês chamado "Kakebo" que pode ajudar no controle das despesas e até faz o dinheiro render.

Gostou do assunto? Então entenda o que é o Kakebo e como utilizá-lo na prática.   

O que é Kakebo?

O Kakebo foi elaborado no início do século XX, no Japão, e é vendido no formato de um livro, como uma agenda de despesas. Seu nome significa “livro de conta das despesas de casa” e ganhou grande fama pela sua praticidade.

Quem desenvolveu esse método foi Motoko Hani - uma das primeiras mulheres a se formar em curso superior de Tóquio, tornando-se, mais tarde, a primeira jornalista feminina do Japão.

Com seus conhecimentos sobre economia, ela criou uma ferramenta para que, especialmente as mulheres, pudessem ter mais domínio e controle das finanças pessoais e da casa. Isso auxiliou a vida de muitas delas, porque não era mais preciso economizar demais a renda básica para conseguir suprir as necessidades do lar; no Kakebo, é possível registrar as despesas para não passar o fim do mês no aperto, pois o controle é feito desde a primeira entrada e saída de dinheiro.

Com o tempo, esse método se tornou um "guia de bolso" para as mulheres e até hoje é utilizado pelas famílias para controlar as finanças domésticas.  

Como funciona?

Para descomplicar as finanças e evitar os erros, o Kakebo apresenta dois personagens principais: o porco e o lobo. Enquanto a imagem do porco significa o dinheiro que você tem para despesas ou para poupar, a do lobo representa os gastos diários, tanto essenciais quanto supérfluos.

Com esse método japonês, as pessoas conseguem identificar os gastos desnecessários e como esse dinheiro, que às vezes pode parecer pouco, faz falta no fim do mês. 

Motoko Hani acreditou que, ao colocar a finança doméstica no papel e estudá-la, ficaria mais fácil combater o consumo exagerado, sem passar necessidades - e tinha toda razão. 

Assim, no livro, você anota toda a renda que a família recebe no mês e descreve os gastos de cada dia e semana. Você também pode dividir as despesas em grupos, por exemplo:

Necessidades básicas: alimentação, transporte, gás, água, luz, medicamentos regulares, convênio, pets etc;

Necessidades secundárias: roupas, acessórios, perfumes, produtos de beleza, skincare, decoração etc;

Entretenimento e lazer: serviços de streaming, livros, jornais e revistas, restaurantes, bares, cinema etc;

Gastos eventuais: presentes, consertos, tratamento de alguma doença etc.

Como começar um Kakebo?

É possível encontrar esse livro nas livrarias e na internet, porém, você também pode utilizar uma agenda ou qualquer caderno que tiver em casa. Tente sempre levar com você o seu caderninho de finanças para que nenhuma despesa eventual do dia a dia seja esquecida.  

A ideia é criar uma conexão com esse objeto, então, coloque um nome especial no seu Kakebo e não esqueça de fazer suas anotações diárias. Você precisa ser sincero(a) e saber diferenciar o que é essencial para sua família e o que pode ser deixado para depois.

No começo de cada mês, anote o dinheiro disponível, isso é, que está entrando na casa, e procure sempre deixar o valor final no positivo, para identificar o dinheiro poupado naquele mês.

Com o tempo, faça esse valor crescer. Por exemplo, se você conseguiu poupar 100 reais, se desafie a dobrar essa quantia para economizar ainda mais. Também vale fazer pequenos investimentos para que o dinheiro renda ainda mais.

LEIA TAMBÉM:

Por