Fale conosco

Amor

Piercing íntimo: confira os estilos masculinos e femininos e perigos da prática!

Na imagem, uma mulher ruiva exibe piercing na boca. Piercing íntimo. - Reprodução/Pexels

Como uma forma de estilo ou fetiche, muitas pessoas optam por colocar o piercing íntimo. Apesar de muitos dizerem que aumentam o prazer, alguns cuidados devem ser levados em consideração na hora de decidir furar a pele, já que a ação pode trazer certos riscos à saúde. Ainda assim, existem diversos modelos, tanto para as mulheres quanto para os homens. Confira mais sobre o assunto!

Lugares e estilos

Para as mulheres, os locais mais comuns são: no clítoris (região sensível e prazerosa da vulva, sendo a parte com mais terminações nervosas), vertical ou horizontalmente. Nos lábios, internos e externos. No períneo, também chamado de Fourchette (aqui o brinco é colocado no músculo entre a vagina e o ânus). No encontro dos dois grandes lábios, também conhecido como Christina, é um furo mais superficial. Para os homens, os locais são: uretra, na verdade, é feita na cabeça do pênis, passando pelo duto urinário; é conhecido como Prince Albert e existe na versão feminina como Princesa Albertina. Frenum, o brinco é colocado abaixo da base do pênis, na membrana chamada frênulo. Na pele do prepúcio, também conhecido como Foreskin. Os mamilos são partes do corpo em que ambos os gêneros gostam de furar. [caption id="attachment_25681" align="alignnone" width="640"]Na imagem, uma mulher vestindo apenas roupas íntimas branca transparente exibe seu piercing no umbigo. Piercing íntimo. (Foto: Reprodução/Pixabay)[/caption]

Perigos do piercing íntimo.

Seja vulva ou pênis, a região íntima é um parte sensível que possui diversas terminações nervosas e alta irrigação sanguínea. Além disso, é quente e úmida (principalmente a vagina), o que proporciona a proliferações de bactérias e fungos. Por isso, há um maior risco de inflamações e infecções. Isso porque um objeto colocado dentro de uma lesão leva o corpo a responder atacando o corpo estranho. Assim, certos cuidados devem ser tomados após o furo. Evitar relações sexuais por um tempo é essencial, já que a ficção e o atrito no local aumentam o processo inflamatório, bem como a ferida não cicatrizada pode proporcionar maior risco a contaminações de doenças sexualmente transmissíveis (atente-se ao formato do brinco, os pontudos podem fazer a camisinha rasgar). Além disso, é preciso sempre fazer boa higienização do local, do objeto e das suas mãos antes de tocar o furo, para evitar que micro-organismos externos entrem em contato com a ferida. LEIA TAMBÉM Texto: Camila Ramos noEmbed

Por