Amor

Depilação íntima: os perigos na hora de aparar essa região sensível

Por Redação João Bidu 10/08/2017 ÀS 01H00
Na imagem, uma mulher está com roupa íntima, deitada na cama de estética com uma dermatologista fazendo depilação íntima na moça em uma clinica. Na imagem, uma mulher está com roupa íntima, deitada na cama de estética com uma dermatologista fazendo depilação íntima na moça em uma clinica. - Reprodução/Shutterstick Images

A técnica da depilação íntima não é nova. Ela era feita para limpar a região antes do parto normal, mas hoje é sinônimo de beleza e higiene. No entanto, médicos advertem que essa prática nada tem de saudável. Descubra os perigos da depilação total da região íntima e se previna!

Pelos pubianos

A maioria das mulheres que realizam a depilação íntima pensam que estão higienizando a região, mas, na verdade, os pelos pubianos tem uma função importante. Assim como em qualquer outra parte do corpo, eles protegem a área contra micro-organismos que podem causar doenças e infecções. Grande parte dos problemas são causados pelas lesões deixadas pela retirada brusca dos pelos, como entrada de bactérias nos folículos da pele ou células mortas que causam os pelos encravados.

Alternativas para a depilação íntima

Ao invés da retirada completa dos pelos, o ideal seria depilar a região externa da vulva, entre a coxa e os grandes lábios (a região do biquíni), e aparar por cima com uma tesoura. Se você procura a depilação para agradar o par e se sentir sexy, não encane, cortar os pelos não é nenhuma garantia de prazer no sexo. Além disso, existem diversos formatos e desenhos que você pode fazer para deixar a região mais sexy, desde corações até iniciais de nomes!

Na imagem, a mulher está deitada em uma mesa de estética com roupão e coque, de barriga para baixo, com as pernas para o ar, sorrindo e segurando um produto, como um creme nas mãos. Depilação íntima. (Foto: Reprodução/Freepik)

Cuidados ao arrancar os pelos!

Não quer deixar de depilar completamente? Então siga alguns cuidados básicos para evitar doenças. Primeiramente, é importante limpar bem a região antes da depilação, que deve ser feita depois de um banho, quando os folículos estão mais macios. É melhor fazer uma esfoliação antes do procedimento para evitar que células entrem na pele e causem um pelo encravado.

Durante a prática, cuidado com a temperatura da cera, e evite usar o mesmo produto para outras partes do corpo, já que pode levar bactérias de um lado a outro. Se for raspar com a lâmina, verifique se não há fungos, ferrugem ou outras marcas de deterioração e armazene ele em lugares secos e indicados, e não no potinho do banheiro. Além disso, jamais empreste a lâmina a outras pessoas!

Outra dica é não fazer sexo logo após o procedimento, além de irritar a região, a relação pode ajudar a proliferar bactérias na área e, também, a vagina fica mais sujeita a contrair DSTs. Cuidados com produtos com álcool ou qualquer outro que possa causar reações alérgicas. Por fim, calcinha de algodão sempre! Além do tecido ser mais delicado para a região que está sensível, ele areja e evita a proliferação de bactérias e fungos.

LEIA TAMBÉM

Texto: Camila Ramos noEmbed

0342