Notícias

Aprenda a identificar pedras falsas e descubra quais são as mais comuns

Por Sérgio Olens 28/05/2020 ÀS 14H18
Você sabe indentificar cristais falsos? Você sabe indentificar cristais falsos? - Crédito: Holly Mazour/Shutterstock

No universo que envolve os diversos tipos de minerais, existem, de fato, cristais que são considerados bastante caros e muitos até não são encontrados facilmente.

O comércio de pedras preciosas e semipreciosas lucra com a venda desses presentes da natureza com a venda para confecção de jóias, acessórios de bijouteria, artesanato, enfeites, além da compra para uso energético nos trabalhos terapêuticos.

Mesmo que os cristais sejam usados para decoração ou para o trabalho em terapias energéticas, práticas de magia e o uso oracular - que são as formas em que eu utilizo -, de nada irá adiantar ter uma pedra perfeita se ela for falsa.

Além do sujeito que compra uma pedra ou cristal falso se enganar, a mesma não possui energia nem as propriedades físicas originais, e muitas vezes até sua aparência é distinta da original. Muitas pessoas acabam sendo enganadas comprando cristais que na verdade são manipulados pelo homem a fim de alterá-los para obter lucro.

As formas mais comuns de alteração e falsificação de pedras no mercado são as chamadas pedras tingidas ou queimadas. Fora aquelas que não são pedras e, na verdade, são sintéticas e não têm valor energético nenhum.

Para não cair nessa armadilha, é essencial saber identificar as pedras falsas e conhecer bem as verdadeiras - que realmente têm propriedades terapeuticas e energéticas. Portanto, confira alguns dos cristais mais falsificados do mercado e não caia nessa!

 

As pedras falsas encontradas no mercado

Ágata

Dentre as pedras falsas mais vendidas, as Ágatas tingidas são as mais encontradas no mercado, em diversas variações de cor. Essas pedras são tingidas e se tornam mais atraentes aos olhos com a finalidade de gerar lucro, uma vez que as Ágatas mais comuns não chamam tanta atenção - algumas têm uma coloração cinza por exemplo.

Seu processo de alteração ocorre por meio da exposição dessas pedras a um ácido específico misturado com tinta que penetra sua superfície causando o tingimento.

As Ágatas originais mais conhecidas são Ágata Musgo (similar a um chão branco com musgos verdes), Ágata de Fogo, Ágata Blue Lace ou Azul Rendada (azul-clara com nuances de tons mais escuros e branco), Ágata Dendrítica, entre outras. Desconfie quando as cores forem muito intensas e chamativas, como rosa-pink, azul, roxo ou verde.

Exemplo de Ágata de Fogo:

ágata de fogo

Citrino

Um dos cristais mais famosos do reino mineral, o Citrino, pertence ao grupo dos quartzos e é conhecido como um cristal que promove a abundância.

No mercado, o que mais se encontra sendo vendido como Citrino é sua forma em tom amarelo forte quase laranja, que na verdade se trata de um cristal de Ametista queimado.

Ao ser aquecido a uma temperatura elevada, a Ametista atinge uma coloração amarelo alaranjado e é comercializada como Citrino, muitas vezes em formato de drusa. Porém, o Citrino Natural não tem a mesma energia do “Citrino” queimado.

No geral o Citrino Natural tem uma coloração amarelo mais pálido e uniforme - mais fácil de identificar contra a luz.

O exposto acima acerca da manipulação feita com a Ametista não deve ser confundido, porém, com Ametrina - um cristal que realmente existe e trata-se da combinação harmônica do Citrino com a Ametista, sendo um processo da natureza e que nada tem a ver com a falsificação feita do Citrino.

Exemplo de Citrino Natural:

citrino natural

Howlita Azul

Cristal de vibração calmante, a Howlita é um cristal normalmente de tonalidade branca com veios acinzentados - semelhante a um mármore branco. No mercado, a versão dessa pedra em tonalidade azul é tingida. É muito comum, inclusive, ela ser comercializada como Turquesa ou como Howlita Azul.

Malaquita

Uma das pedras mais conhecidas no antigo Egito, a Malaquita foi utilizada de diversas formas, entre elas como ornamento, jóias e principalmente em pó.

É uma pedra excelente para proteção energética e uma das mais utilizadas na Cristaloterapia. Porém, infelizmente, no mercado hoje encontramos uma resina verde sendo comercializada como Malaquita.

Para quem não conhece a pedra original, ela se passa como idêntica, mas tem uma temperatura bem menos fria que uma pedra verdadeira, justamente por ser feita de resina.

Olho de Boi

É comum encontrarmos no mercado, atualmente, um cristal chamado Olho de Boi, sendo comercializado como uma excelente pedra de proteção. Esse cristal na verdade é um Olho de Tigre queimado.

Ao ser exposto ao calor extremo, assim como fazem com a Ametista para criar o Citrino queimado, o Olho de Tigre atinge uma coloração marrom avermelhada, gerando o que é conhecido comercialmente como cristal Olho de Boi.

Exemplo de Olho de Tigre verdadeiro:

olho de tigre

Pedra da Lua

Uma das pedras mais comercializadas em joalherias e lojas de artigos místicos, a Pedra da Lua é considerada sagrada na Índia há milhares de anos.

Considerada uma pedra do Sagrado Feminino, ela é uma representação da Deusa da Lua na Terra. Não é considerada uma pedra barata, portanto, no mercado o que mais se encontra é uma resina que na verdade leva o nome de Opalina. Porém, esse nome não fez sucesso com as vendas e, por isso, substituíram pelo nome de Pedra da Lua para que pudesse ser comercializado amplamente.

A Pedra da Lua original é um mineral feldspato, em sua maioria com um brilho azulado, e conta com diversas tonalidades, dentre elas branca, cinza e pêssego - sendo esta última a mais comum de ser encontrada.

Muitos usam a Pedra da Lua falsa (Opalina) somente por sua beleza, sabendo que não se trata de uma pedra verdadeira.

Exemplo de Pedra da Lua verdadeira:

pedra da lua

Pedra do Sol

Devido a sua cor quente alaranjada e seu brilho, a Pedra do Sol, também vinda da Índia, lembra o Astro Rei, sendo conhecida como uma pedra de poder e expansão da consciência.

Simbolicamente a Pedra da Lua é a polaridade Yin e a Pedra do Sol a Yang. 

No mercado é comum encontrar uma pedra marrom com brilho metálico de purpurina, vendida como Pedra do Sol, sendo uma pedra falsa e a mais fácil de identificar em comparação com a original.

pedra do sol

Pedra da Estrela 

Comumente encontrada em lojas de acessórios místicos, a Pedra da Estrela nada mais é do que a mesma criação da Pedra do Sol falsa, porém, em coloração azul marinha.

Essa pedra, que na verdade é um tipo de vidro, também pode ser encontrada em tom verde sendo comercializada como Pedra da Mata. Porém, ambas são falsas e não existem na natureza.

Turquesa

Conhecida em diversas civilizações desde a antiguidade, como no Egito e no Peru, a Turquesa original é considerada uma pedra cara. Acredita-se que, devido ao seu alto valor, ela se tornou uma das pedras mais falsificadas no mercado e, muitas vezes, é bem difícil de identificar.

É comum hoje dia encontrar no mercado, sendo comercializada como Turquesa, uma resina azul, muitas vezes idêntica à original, ou a Howlita Azul, que na verdade é uma Howlita pintada.

A Turquesa verdadeira tem preços mais elevados e é muito difícil de ser encontrada. Além disso, sua coloração é menos intensa e suas ranhuras são mais orgânicas e assimétricas. Sempre que encontrar uma Turquesa sendo comercializada, desconfie!

Dica para identificar pedras falsas

Uma dica interessante para identificar pedras falsas é observar sua temperatura. Os cristais e pedras naturais têm, naturalmente, uma temperatura fria ao tocar a pele. Já as falsificações feitas com resina apresentam temperatura ambiente, peso mais leve e valor inferior em relação ao original.

Quanto às pedras tingidas, elas trazem diversas imperfeições se observadas de perto.

Texto: Sérgio Olens - Terapeuta Holístico e Oraculista

Instagram: @sergio.olens

 

LEIA TAMBÉM:

02119