Celebrações judaicas: conheça algumas das principais datas do judaísmo

Conheça algumas das principais celebrações judaicas

A contagem de meses e anos pelos judeus ocorre de forma diferente. Saiba quais são e quando ocorrem algumas das celebrações judaicas

A foto mostra um manuscrito hebraíco, um kippah e um talith. Celebrações judaicas
Foto: Shutterstock.com

Enquanto o ocidente está no ano de 2017, os judeus se encontram no 5777. Isso porque a contagem é feita a partir da criação do primeiro homem que habitou a Terra, Adão. Para eles, o calendário possui, alternadamente, 12 ou 13 meses – Tishrei, Cheshvan, Kislev, Tevet, Shvat, Adar, Nissan, Iyar, Sivan, Tamuz, Av e Elul. A tradição dos hebreus, proveniente dos egípcios, baseava-se nos ciclos da lua.

Assim como os cristãos comemoram o Natal no dia 25 de dezembro, feriado do nascimento de Jesus, ou o dia de Nossa Senhora Aparecida, em 12 de outubro, os judeus também possuem períodos de fé e comemoração. “As principais celebrações judaicas são referências a história do povo como narradas nos livros do Antigo Testamento”, ressalta Rêiner Godoy, professor de História da Rede Educacional Alub.

A seguir, confira algumas das celebrações judaicas mais importantes e o significado por trás de cada uma.

Purim

Todos os anos, o Purim é no 14º dia do mês de Adar. De acordo com Rêiner, a data retoma a narrativa do livro bíblico de Ester, quando o povo judeu foi alvo de um plano para ser morto pelas ações de Hamã, que queria exterminá-lo do antigo Império Aquemênida. “Mas, pela intercessão de Ester, foram todos poupados”, explica o historiador.

Pessach (Páscoa ou Festa da Libertação)

A páscoa judaica comemora a libertação da escravidão dos judeus no Egito. “Na última praga, todos os primogênitos no Egito morreriam, exceto aqueles que tivessem o sangue de um cordeiro nos umbrais das portas. Quando a morte passou pelo Egito, os filhos dos israelitas sobreviveram, mas os dos egípcios morreram, assim Faraó autorizou a saída dos israelitas”, pontua o professor. O Pessach é sempre no dia 14 de Nissan.

Shavuót (Festa das Colheitas ou Festa das Prímicias)

O período de 50 dias após o Pessach representa as semanas nas quais houve a libertação das marcas da escravidão. Assim, o Shavuót sinaliza a revelação da Torá aos judeus. A tradição determina fartura de alimentos para festejar uma boa colheita.

Rosh Hashaná

Ano Novo judaico, primeiro dia do mês de Tishrei. No calendário gregoriano, ocorre e setembro. “É o Dia do Julgamento, quando D’us (Deus) determina o destino de cada um para o ano que se inicia”, afirma Carlos Batista Alves Neto, professor de História do Canal do Enem.

LEIA TAMBÉM

Texto e entrevistas: Érika Alfaro – Edição: Giovane Rocha

Consultorias: Carlos Batista Alves Neto, professor de História do Canal do Enem; Rêiner Godoy, professor de História da Rede Educacional Alub.

Os comentários estão desativados.